Sejam todos bem-vindos!

Qualquer Coisa é a Mesma Coisa é uma série de publicações próprias e algumas divulgações, quando não faço nada, ponho alguma coisa por aqui, que, talvez, ninguém ou poucos as leiam.

Recomendo o uso dos marcadores a direita de sua tela, ok?
Boa Leitura!! Se não quiser ler, apenas olhe... Comente...

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

O Mar e o Lar


Mistérios de uma vida
De frente, cara a cara com o mar
Onde tudo isso vai chegar
Vivo em um sono profundo...

Bateram nas pedras do mundo
Invadiram casas, bares e igrejas
O mendigo pediu uma cerveja
Ó o louco!
Ainda pede o troco – depois do calote

Seguindo o mote
Da água a invadir
O universo brilha com um grande luzir
E coloridas são as portas agora, é fácil seguir

Vi o pato sem bico
E o peixe voando, pedindo pinico
O rato nadando,
A coruja mancando e o caboré chorando

É nisso que dá a natureza enfrentar
Eis que vomitaram no mar
Agora vejam o seu revoltar

Eram ondas enormes
Cheias de coliformes
Cobriam os prédios dos fortes

E só os morros se salvavam
Mas em ilhas, se transformaram
Os que ali estavam, sobreviveram
E estes pensavam:

“ai, ai... Vamos morrer!
Sem ter o que comer!
Como viveremos!”

Mas aí, alguém com seus brilhantes pensamentos
Disse: “nós plantaremos
Pra ter o que comer
E nessa terra há de nascer
[Sobreviveremos]


(ps.: no final, tudo se acaba na mensagem real do desenho)

Nenhum comentário:

Postar um comentário