Sejam todos bem-vindos!

Qualquer Coisa é a Mesma Coisa é uma série de publicações próprias e algumas divulgações, quando não faço nada, ponho alguma coisa por aqui, que, talvez, ninguém ou poucos as leiam.

Recomendo o uso dos marcadores a direita de sua tela, ok?
Boa Leitura!! Se não quiser ler, apenas olhe... Comente...

quarta-feira, 13 de junho de 2012

O fim banal


De primeira vem a tona todas as propostas preparadas para derrubar qualquer suspeito. Tais propostas são lançadas de forma totalmente humilhante, sínica, crua e sem respeito ao estado de espírito, pois o tema é dinheiro em troca de trabalho.
Não se pode reclamar. Há muito tempo, o homem atingido cavou sua própria cova, ele já previa seu fim, e, com o sentimento de dever feito parte com uma real paz de espírito, sem algo material a seus pertences, sem herança pra deixar...
A alma partir-se-á rumo as estrelas e o corpo rumo a decomposição total, indigente e vagabundo aos que o olha ali. Inerte no chão sem velório, e sem importância alguma é só mais um cadáver estirado na banal quadrilátera prisão.
Rony de Castro

Nenhum comentário:

Postar um comentário